Usamos próprios e cookies de terceiros. Se você continuar a navegar, consideramos aceitar seu uso. Mais informações aqui.

Calda Bordalesa Quimagro

New product

Fungicida cúprico.

AutorizaçãoAPV nº 2823 concedida pela DGAV
Composição20% (p/p) de cobre, sob a forma de sulfato de cobre e cálcio (mistura bordalesa)
FormulaçãoPó molhável (WP)
EmbalagensCaixa 12 ud

Fungicida cúprico indicado para o combate aos míldios da videira, batateira, tomateiro e citrinos, pinta negra e gomose dos citrinos, pedrado e cancro da pereira e macieira, lepra do pessegueiro e gafa da azeitona.

UTILIZAÇÕES
A CALDA BORDALESA QUIMAGRO está indicada para combater as doenças referidas no quadro seguinte. Sempre que existam Serviço Nacional de Avisos Agrícolas devem os tratamentos ser realizados de acordo com os conselhos por eles emitidos. Na sua falta seguir as seguintes indicações:

CulturasDoençasConcentrações (kg/hL)Época de Aplicação
Videira*Míldio
(Plasmopara viticola)
1,25 - 2,00Iniciar o tratamento no estado 7-8 folhas ou imediatamente após o aparecimento dos primeiros focos na região. Os tratamentos seguintes deverão ser realizados quando as condições climáticas favoreçam o desenvolvimento da doença. Não aplicar durante tempo frio e chuvoso, muito especialmente na Região dos Vinhos Verdes. Nunca aplicar durante a floração se esta decorrer com tempo frio e chuvoso.
BatateiraMíldio
(Phytophthora infestans)
1,25 - 2,50Tratar sempre que o tempo decorra chuvoso.
TomateiroMíldio
(Phytophthora infestans)
1,25 - 2,50Tratar no viveiro e imediatamente após a transplantação e sempre que o tempo decorra chuvoso.
CitrinosMíldio
(Phytophthora citrophthora)

Queimado ou pinta negra (Pseudomonas syringae)
1,25 - 2,50Tratar no Outono, quando a temperatura baixar e surgirem as primeiras chuvas. Repetir a intervalos de 3-4 semanas enquanto o tempo decorra frio e húmido. Normalmente são suficientes 3 aplicações: meados de Novembro, fins de Dezembro e princípio de Fevereiro. As aplicações devem ser efectuadas pulverizando bem o tronco e as abas das árvores.
CitrinosGomose
(Phytophthora citrophthora)
10,0 – 12,5Aplicar a pasta por pincelagem nas zonas necrosadas no início da Primavera. Aplicar somente depois de limpar a zona doente por raspagem até encontrar os tecidos sãos.
Pereira e MacieiraPedrado
(Venturia inaequalis e Venturia pirina)
1,25 - 2,50Realizar uma aplicação no estado de repouso vegetativo com a concentração mais elevada (apenas na pereira). Repetir ao aparecimento da ponta verde das folhas (estado D) usando a concentração mais baixa. Não aplicar após o aparecimento da ponta verde das folhas. 
Pereira e MacieiraCancro ou néctria (Nectria galligena)1,25 - 2,50Tratar no início, meio e fim da queda das folhas. Em casos graves repetir ao entumescimento dos gomos, usando a concentração mais baixa. Não aplicar após o aparecimento da ponta verde das folhas.
PessegueiroLepra
(Taphrina pruni e Taphrina deformans)
3,75 (à queda das folhas) 1,25-2,5 (ao entumescimento dos gomos)Tratar à queda das folhas, no Outono e ao entumescimento dos gomos (fins do Inverno - começo da Primavera). Se necessário mais tratamentos deverão ser feitos com produtos homologados para esta doença no decorrer do período vegetativo.
OliveiraGafa
(Colletotrichum gloeosporioides)
1 - 2Realizar o primeiro tratamento antes da queda das primeiras chuvas outonais. Se as condições climáticas decorrerem favoráveis ao desenvolvimento da doença, repetir o tratamento passadas cerca de 3 semanas.

* Se este produto for aplicado com tempo frio e chuvoso pode provocar fitotoxidade

MODO DE PREPARAÇÃO DA CALDA
No recipiente em que se prepara a calda, deitar metade da água necessária. Numa vasilha juntar a quantidade de produto a utilizar com um pouco de água e agitar continuamente até obter uma pasta homogénea e sem grumos. Deitar esta pasta no recipiente e completar o volume de água, agitando sempre. Evitar deixar a calda em repouso.

MODO DE APLICAÇÃO
Utilizar qualquer tipo de pulverizador. As concentrações indicadas referem-se a alto volume. Quando a aplicação se faz com aparelhos de médio ou baixo volume (turbinas ou atomizadores), a concentração deve ser aumentada de tal modo que a dose de produto por hectare seja a mesma que no alto volume.

Nota: Os resultados da aplicação deste produto são susceptíveis de variar pela acção de factores que estão fora do nosso domínio, pelo que apenas nos responsabilizamos pelas características previstas na Lei.

AutorizaçãoAPV nº 2823 concedida pela DGAV
Composição20% (p/p) de cobre, sob a forma de sulfato de cobre e cálcio (mistura bordalesa)
FormulaçãoPó molhável (WP)
EmbalagensCaixa 12 ud
Classificação, rotulagem e embalagem (CRE)

GHS09

Avisos legaisATENÇÃO
Declarações de precauçãoFicha de segurança fornecida a pedido.

Muito tóxico para os organismos aquáticos com efeitos duradouros.

Não comer, beber ou fumar durante a utilização deste produto.

Manter afastado dos alimentos e bebidas, incluindo os dos animais

Recolher o produto derramado.

Eliminar o conteúdo/embalagem em local adequado à recolha de resíduos perigosos.

Não contaminar a água com este produto ou a sua embalagem.

Para protecção dos organismos aquáticos, não aplicar em terrenos agrícolas adjacentes a águas de superfície.

Intervalo de segurança: 7 dias em batateira, citrinos, oliveira, tomateiro e videira.

Em caso de intoxicação, contactar o Centro de Informação Antivenenos. Tel.: 808 250 143

A embalagem vazia não deverá ser lavada, sendo completamente esgotada do seu conteúdo, inutilizada e colocada em sacos de recolha, devendo estes serem entregues num centro de recepção Valorfito.

Nota: Os resultados da aplicação deste produto são susceptíveis de variar pela acção de factores que estão fora do nosso domínio, pelo que apenas nos responsabilizamos pelas características previstas na Lei.



Produtos Relacionados

Fungicida de superfície com actividade preventiva e curativa para o controlo do oídio da videira.

Fungicida cúprico.

Fungicida sistémico com amplo espectro de acção.

Fungicida sistémico do grupo dos triazóis (DMI)

Fungicida orgânico do grupo dos ditiocarbamatos.

Fungicida sistémico.

Fungicida.

Fungicida orgânico de síntese.

Fungicida orgânico de síntese.

Fungicida. 

Fungicida organocúprico.

Fungicida. 

Fungicida.

Fungicida penetrante anti-mildio, com actividade curativa e preventiva.

Fungicida sistémico para o combate ao míldio da videira (Plasmopara viticola).

Fungicida.

Fungicida sistémico com acção preventiva e curativa indicado para o combater os míldios da videira, da batateira e do tomateiro.

Fungicida.

Fungicida sistémico.

Fungicida.

Top